Coluna n° 37

Foto: Frederico Tadeu/Avaí F.C

Arte: Guto Delfino

Saudações azurras. 

“Tá Difícil!
Olá amigos do Blog do Guto e que já aguardam a coluna pós-jogo do Avaí, antes de escrever sobre a partida, quero dar os parabéns ao Guto pelos dez anos do Blog, que já é referência para muita gente e que não há empecilhos, quando se quer fazer.
Avaí e Botafogo, que mudou de horário duas vezes (era na segunda-feira, ás 20 horas, depois alterado para o domingo, ás 19 horas), que passou para o horário nobre do futebol brasileiro, no domingo, ás 16 horas. Que não é bom para quem tem que se organizar: os times, imprensa, entre outros.
O time do Avaí veio para o jogo com praticamente a mesma escalação do jogo passado, somente mudando no gol, o retorno do goleiro Vladimir. No mais, o mesmo time, que o técnico Alberto Valentim que gostou, mesmo com a derrota na cidade de Santos.
Só que, como diz o ditado: “Cada jogo é um história”, se repetiu. Jogando dentro do Aderbal Ramos da Silva, os donos da casa teriam que propor o jogo e foi essa a estratégia do adversário, deixar o Avaí com a bola.
No início pareceu que não daria certo o que o Barroca, técnico do Botafogo, planejou, pois o Leão da Ilha partiu pra cima, tentando as jogadas pelos lados do campo e conseguindo dar trabalho ao sistema defensivo botafoguense, mas não chegando a ter defesas do goleiro Gatito.
Depois o time carioca conseguiu encaixar melhor a marcação e usou a pressão em cima do time azurra, em função da posição na tabela agir. Essa pressão pelo gol e o resultado positivo, tira o atleta do seu “normal” (de fazer as jogadas como foram treinadas, etc). Um lance que mostra bem isso aconteceu com o Lourenço, que conseguiu abrir espaço para o chute a gol, mas preferiu passar a bola. O único que tentou o chute foi Pedro Castro.
Pelo lado do Botafogo, todas as saídas de defesa para o ataque eram com o Alex Santana, o melhor jogador da partida, que várias vezes abriu a defesa avaiana com a sua força física.
E foi Alex Santana quem abriu o placar, após cobrança de lateral, carregou a bola da esquerda para o meio e bateu no canto do Vladimir. Esse gol deu um baque no time azurra que sentiu bastante. E facilitou o planejamento colocado pelo adversário, que irritava o Avaí tocando a bola atrás e deixando o tempo passar. As 14 finalizações do Avaí, somente no primeiro tempo, e não conseguindo fazer o gol, também tiram um pouco da confiança.
Mais uma vez Valentim mexeu no time no intervalo, tirando Bruno Sávio para a entrada de Brenner. Valentim queria um atacante mais dentro da área, pois o adversário naturalmente colocou as linhas mais baixas, para dificultar as infiltrações do Leão.
Mas quando a fase é ruim, tudo vem contra. O Botafogo ampliou logo aos cinco minutos, após uma falta bem duvidosa marcada pelo árbitro Vinicius Furlan. Marcinho bateu a falta no primeiro pau e Marcelo Benevenuto ampliou, de cabeça. Um índice excelente de aproveitamento do time carioca. Já que o Avaí teve inúmeras oportunidades de alçar a bola na área e não conseguiu ser efetivo.
Logo em seguida, entrou André Moritz no meio campo, para tentar um passe melhor. E por último, entrou o Luan Pereira, tirando os dois protetores da defesa, Pedro castro e Franco. Foi Luan quem teve a melhor chance, chutando cruzado, a bola passou pelo goleiro e o Benevenuto tirou em cima da linha.
Mais uma derrota, que coloca ainda mais pressão em todos. O Avaí bateu o recorde de partidas sem vitórias (um recorde que ninguém quer). Só quem entra em campo, junto com a comissão técnica e que podem sair dessa situação muito ruim. Já não há mais o que falar, em relação aos resultados que não vem.
E na próxima rodada virá mais um time pressionado, o Cruzeiro. Que também está mal na tabela e vem tentar se recuperar dentro da Ressacada.
Quero deixar os parabéns ao torcedor avaiano, que foi em bom número, esperando a tão sonhada vitória. Infelizmente não veio.
Um abraço a todos!

FICHA TÉCNICA

Jogo: Avaí 0x2 Botafogo-RJ
Competição: Campeonato Brasileiro Série A
Data: 04/08/2019 – Hora: 19h
Estádio: Ressacada – Local: Florianópolis-SC

ÁRBITROS DA PARTIDA
Árbitro: Vinicius Furlan-AB-SP
Árbitro Assistente 1: Danilo Ricardo Simon Manis-FIFA-SP
Árbitro Assistente 2: Daniel Paulo Ziolli-AB-SP
Quarto Árbitro: Ramon Abatti Abel-AB-SC
Analista de Campo: Cantucho João Setúbal-CBF-SC
Árbitro de Vídeo: Igor Junio Benevenuto de Oliveira-AB-MG
Assistente de Árbitro de Vídeo 1: Wanderson Alves de Sousa-AB-MG
Assistente de Árbitro de Vídeo 2: Felipe Alan Costa de Oliveira-AB-MG
Observador de VAR: Raimundo Nonato Lopo de Abreu-CBF-DF
PÚBLICO E RENDA
VENDA DE INGRESSOS: 840
RENDA DOS INGRESSOS: R$ 49.706,00
TOTAL DE SÓCIOS: 4.641
RENDA SÓCIOS: R$ 92.820,00
PÚBLICO NÃO PAGANTE: 1.338
CRIANÇAS: 321
PÚBLICO TOTAL: 7.140
RENDA TOTAL: R$ 142.526,00

ESCALAÇÃO DO AVAÍ
Vladimir; Léo, Betão, Marquinhos Silva e Igor Fernandes; Pedro Castro (Luan Pereira), Richard Franco (André Moritz), Lourenço e João Paulo; Gustavo Ferrareis e Bruno Sávio (Brenner).
TÉCNICO: Alberto Valentim

ESCALAÇÃO DO BOTAFOGO
Gatito Fernández; Marcinho, Marcelo Benevenuto, Gabriel e Gilson;
Cícero, Alex Santana, João Paulo; Luiz Fernando (Jean), Diego Souza (Victor Rangel), Rodrigo Pimpão (Fernando).
TÉCNICO: Eduardo Barroca

CARTÕES AMARELOS
AVAÍ: Igor Fernandes, João Paulo
BOTAFOGO: Gabriel
CARTÃO VERMELHO:
AVAÍ: André Moritz (direto)”

Texto de Renatinho Pires. 

TAGS:
CURTA / COMPARTILHE / COMENTE

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Got Something To Say:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os direitos reservados © 2019. | Blog do Guto - Desenvolvido por R Comunicação.