Coluna n° 7

Arte: Guto Delfino

Saudações azurras. 

Confira a coluna “Fala, Renatinho” sobre o último jogo:

“Está Afunilando…
Uma terça feira daquelas, de rodada cheia (tirando o jogo do Goiás, que foi na segunda). A tradicional ansiedade, conforme a hora da partida chegava, ia aumentando.
Veio a escalação, e com ela quatro mudanças em relação ao último jogo. Entrando Marquinhos Silva, Igor, Pedro Castro e Jones. Duas por opção, uma pelo terceiro cartão e a última pelo planejamento já feito
Pela segunda vez seguida, fora de casa, o jogo inicia com o Avaí no ataque, colocando duas bolas na trave, até sair o gol de Rodrigão. Uma jogada em que a bola chega no Renato, que faz o passe e a definição de biquinho do atacante avaiano.
Após o gol, o time se posicionou mais atrás, diminuindo o espaço do adversário, porém ficando um pouco mais longe da meta dos donos da casa, que por sua vez, não conseguiram achar alternativas para incomodar o goleiro Kozlinski, que pouco trabalhou, na primeira etapa.
O segundo tempo vem e o Atlético fez uma alteração, colocando um jogador de mais mobilidade e tirando o atacante mais fixo e foi esse jogador que recebeu a bola em velocidade num lançamento/ chutão, que pegou desprevenida a defensiva azurra, levando a bola até a linha de fundo e cruzando pra trás, e pegou Júlio César de frente, empatando a peleja. Aí o adversário se animou, partindo pra tentar a virada, por consequência, deixando espaços pra o Leão chegar, nos contra ataques e foi num desses que Renato recebeu em velocidade, ganhou da defesa goiana e deu um toque de qualidade, sem chance para o goleiro. Destaque para a comemoração do jogador avaiano, dedicando o gol para o irmão falecido recentemente.
O jogo se encaminhava para o final, com os donos da casa pressionando, mas bolas alçadas na área, facilitando para Betão e Marquinhos Silva, que novamente foram muito bem. Aí veio uma jogada fortuita, pela direita, onde o jogador adversário veio com a bola dominada e esperando que alguém chegasse e ele se jogasse em cima, para cavar uma penalidade. E foi justamente isso que aconteceu. Luan Pereira veio pra tomar a frente pintou a oportunidade do atacante “cavar”. O árbitro, com muita boa vontade, colocou na marca da cal. E empataram.
Só que perderam um jogador, por contusão, nessa parte final e o Avaí teve várias chances da trazer a vitória. Com chances claríssimas desperdiçadas. Uma grande oportunidade perdida de ficar pertinho do acesso.
Mas vocês já sabem, pro Avaí é tudo mais difícil.
É focar na partida do próximo sábado, contra o Fortaleza, e tratá-lo como uma decisão. Aliás, os três últimos jogos tem que ser dessa forma. Decisões! E as promoções continuam, em relação aos ingressos, no setor H (cinco reais), que teve uma aceitação muito boa do torcedor. Enfim, é hora do apoio e estar junto com o time. Vamos com tudo!
Um abraço a todos!”

TAGS:
CURTA / COMPARTILHE / COMENTE

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Got Something To Say:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os direitos reservados © 2018. | Blog do Guto - Desenvolvido por R Comunicação.