3 x 3: Tempos distintos

Foto: Marcos Delfino

Saudações azurras.
Com quatro mil torcedores nas arquibancadas, o Avaí apenas empatou com o Guarani num elétrico 3 x 3.
Foi um belo jogo para assistir, de várias facetas, os dois times não deixaram para trás o que está acontecendo na Rússia, jogo muito articulado, mas a partida teve dois tempos distintos: o Avaí dominou as ações do primeiro tempo com triangulações, mudanças nas viradas de jogo, o centroavante Guilhermo Beltran estava ganhando toda a segunda bola obtendo a posse para o Leão, por isso o time mandante se sobressaiu nas jogadas e abriu 2 x 0 com gols de Renato e Judson, este fez um gol de rara felicidade, parecia que estava na Copa do Mundo.
Mas o futebol sempre prega coisas difíceis de entender, um jogo que estava ganho pelo Avaí e acaba escorrendo pelas mãos. O Leão entrou mole no segundo tempo, com baixa concentração, este aspecto não pode ocorrer em nenhum momento e tomamos uma virada inexplicável em 20 minutos com falhas grotescas da defesa (lance de escanteio e de lateral) impossíveis de aceitar.
Creio que o técnico Geninho demorou para mexer, pois o time estava totalmente perdido. A colocação de Marquinhos em campo deu uma nova oxigenação ao time e foi preponderante para o empate. Em um cruzamento dele, o centroavante Guilhermo empatou o jogo.
E faltou muito pouco para dar uma nova virada.

TAGS:
CURTA / COMPARTILHE / COMENTE

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Got Something To Say:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. avatar Gustavo Cabezasays:

    pois é, foi meio inexplicável o que aconteceu nos primeiros 15 min do segundo tempo, não acreditei na virada do Guaraní, foi uma lição dificil, mas futebol prega essas coisas vez enquando. Foi um bom jogo, mas o Avai tem que estar mais atento em campo, Geninho mexeu bem.

Todos os direitos reservados © 2018. | Blog do Guto - Desenvolvido por R Comunicação.